A Delegacia de Polícia Civil de Boqueirão não pode fechar

Nenhum policial civil teria demonstrado interesse de vir trabalhar no município

DP funciona em um prédio locado pelo Governo do Estado

 

Uma situação que já era de meu conhecimento desde o ano passado quando o comissário de polícia Carlinho Meneghetti disse que estava se aposentando, teve repercussão regional essa semana, deixando apreensiva a comunidade, não só de Boqueirão, mas de outros municípios que são atendidos pela Delegacia de Polícia Civil de Boqueirão do Leão. Em entrevista ao jornal Gazeta do Sul, o delegado Felipe Cano, titular da DP de Venâncio Aires e que responde pela DP de Boqueirão do Leão, afirmou que os atendimentos na DP de Boqueirão estavam ocorrendo somente uma vez por semana, tendo em vista que nenhum policial sem dispôs a vim atuar no município, já que o Meneghetti se aposentou, e que os outros dias a repartição estava fechando, devendo a comunidade fazer o registro de ocorrências urgentes em Venâncio Aires. O delegado disse que ele mesmo, na companhia de um policial, estava vindo uma vez por semana ao município.

Além de a comunidade ficar apreensiva com a informação, entidades, como a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), através de seus dirigentes representantes do comércio local associado, demonstrou preocupação com o fato, já que é o Governo do Estado anunciou que estava analisando a situação das delegacias de polícia que contavam com apenas um policial em atividade, o que é o caso de Boqueirão.

Edson Faleiro, presidente da CDL, disse que conversou com o delegado Felipe Cano sobre esse assunto, quando ouviu do delegado que há município da região disposto a ceder o prédio e alugar um imóvel para o policial residir e então implantar a DP. Faleiro entende que, se for o caso, o município de Boqueirão também tem condições de ajudar a Polícia Civil, pois o fechamento da DP dificultaria o acesso e geraria mais despesas à comunidade de Boqueirão que há cerca de dois anos teve de se adequar ao fechamento do Banco do Brasil que passou novamente ao município de Barros Cassal.

Mas o prefeito Paulo Joel Ferreira (MDB) está atento à questão. Ontem ele esteve com a chefe de polícia do RS, Nadini Farias Anflor, a qual garantiu que a DP não irá fechar. A mesma garantia foi dada pelo delegado regional de polícia há cerca de 4 meses. Ainda estavam na audiência de ontem o vice-prefeito de Gramado Xavier, Jeferson Froza (PDT) e a deputada estadual Kelly Moraes (PTB), apoios importantes para manter a delegacia. Inclusive, o prefeito já acenou a possibilidade de o Município ser mais uma vez parceiro dos órgãos policiais, ou seja, que está aberto a um diálogo até mesmo para ajudar no custeio de despesas da DP.

A preocupação do poder público e dos dirigentes da CDL é amplamente válida. Deve sim ser somados esforços para que o município não fique sem DP. Município/CDL/comunidade devem se unir em torno do fato. O que me preocupa é uma informação dada pelo delegado: até então, nenhum policial do Estado havia demonstrado interesse em vir atuar definitivamente no município de Boqueirão do Leão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *